tel: (11) 5506.1217 / (11) 3331.6064

oxigenoterapia dpoc asma bronquite cronica enfisema pulmonarAlgumas pessoas com doença pulmonar são incapazes de obter oxigênio suficiente por meio de uma respiração normal e precisam de oxigênio extra para manter as funções vitais normais

Publicado em Notícias

temperaturas baixas agravam efeitos do cigarroO inverno é associado a um maior número de internações por doença pulmonar obstrutiva crônica, uma consequência comum do tabagismo

Publicado em Notícias

valvulas bronquicas para o tratamento da dpocRegistradas na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) desde 2005, as válvulas brônquicas unidirecionais são uma opção para o tratamento da DPOC que tem demonstrado melhorias significativas na qualidade de vida do portador.

Publicado em Notícias

researchEstamos realizando uma pesquisa para entender como o portador de DPOC realiza o tratamento de oxigenoterapia no município de São Paulo. 

Sua participação é muito importante para nos ajudar a aprimorar nossos trabalhos junto a Secretaria Municipal de Saúde.

Publicado em Notícias
Quarta, 01 Junho 2016 14:17

Pesquisa revela dados alarmantes

12077196Estudo inédito divulgado nesta terça-feira (31), Dia Mundial sem Tabaco, mostram que 18,5% dos adolescentes brasileiros entre 12 a 17 anos já experimentaram o cigarro –o que indica que 1,8 milhão de jovens nessa faixa etária já fumaram pelo menos uma vez.

Publicado em Notícias
Segunda, 16 Maio 2016 14:57

Tudo sobre DPOC

tudo sobre dpocPreparamos esta área do site especialmente para você entender melhor o que é a DPOC. Organizamos o conteúdo da seguinte forma:

Esperamos que aproveite a leitura. Se tiver alguma sugestão, basta entrar em contato conosco pelo email dpoc@dpoc.org.br

Publicado em Tudo sobre DPOC
Segunda, 09 Maio 2016 22:47

DPOC e asma

Você sabe as diferenças entre as duas doenças?

Publicado em Notícias
Segunda, 09 Maio 2016 22:21

O que causa a DPOC?

o que causa dpocA principal causa da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é o consumo do tabaco (incluindo a exposição passiva).

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, em 2005, 5,4 milhões de pessoas morreram devido ao uso do tabaco. A OMS ainda projeta o aumento para 8,3 milhões no número de mortes relacionadas com o tabagismo até 2030.

Outros fatores de risco

As causas da DPOC têm padrões opostos de acordo com as áreas geográficas. Em países de alta e média-renda o fumo do tabaco é o maior fator de risco. Por outro lado, em países de baixa renda, a exposição a poluição atmosférica, como a fumaça da combustão de combustíveis fósseis para cozinhar e aquecer, contribuem mais para a incidência da DPOC.

Quase três bilhões de pessoas no mundo inteiro utilizam combustíveis fósseis como sua principal fonte de energia para necessidades domésticas. Nessas comunidades, a poluição do ar interior é responsável por uma maior fração do risco de DPOC do que fumar ou poluição do ar exterior.

Combustíveis de biomassa utilizados por mulheres para cozinhar contribuem para a elevada prevalência da DPOC entre as mulheres não-fumantes em partes do Oriente Médio, África e Ásia. Estima-se que a poluição do ar interior resultante da queima de madeira e outros combustíveis de biomassa causa a morte de dois milhões de mulheres e crianças a cada ano.

Outros fatores de risco para a DPOC incluem gases gerados por produtos químicos (tais como vapores e fumaça) e infecções respiratórias frequentes durante a infância.

Segundo o governo Norte-Americano, uma doença genética muito rara chamada deficiência de antitripsina alfa-1 pode contribuir na causa da DPOC. Pessoas que têm esta condição possuem baixos níveis de alfa-1 antitripsina (AAT) - a proteína produzida no fígado – e que pode levar a danos nos pulmões e, consequentemente, a DPOC.

Se a pessoa está exposta ao tabaco, fumaça ou outros irritantes pulmonares, a DPOC pode piorar muito rapidamente.

Apesar de incomum, algumas pessoas que têm asma pode desenvolver DPOC. A asma é uma doença pulmonar crônica (de longo prazo), que inflama e estreita as vias aéreas. O tratamento geralmente pode reverter a inflamação e estreitamento. No entanto, se não for, podem desenvolver DPOC.

Fonte: OMS e National Heart, Lung and Blood Institute

Publicado em Tudo sobre DPOC
Segunda, 09 Maio 2016 22:17

O que é DPOC?

o que é dpocA DPOC é uma doença pulmonar que obstrui as vias aéreas, tornando a respiração difícil. DPOC significa Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica.

Crônica significa que não tem cura; Obstrutiva quer dizer que bloqueia parcialmente os bronquios; Pulmonar, pois acomete os pulmões; Doença, por se tratar de uma enfermidade.

A DPOC é semelhante à asma, mas é doença crônica e pode se tornar grave, com o passar do tempo. A única maneira de ter certeza que você tem DPOC é realizar um exame respiratório chamado espirometria, secundando-se o exame de imagem e clínico.

Embora não tenha cura, os tratamentos disponíveis para a DPOC atuam retardando a progressão da doença, controlando os sintomas e reduzindo as complicações.

Em sua maioria a DPOC resulta de danos pulmonares causados ​​pelo tabagismo, ou da poluição ambiental.

Quando a DPOC está sob controle, os sintomas serão mais ou menos os mesmos no dia a dia.

A DPOC é uma doença progressiva, o que significa que se agrava com o tempo. Normalmente, essas mudanças são graduais, mas às vezes elas acontecem muito rapidamente, e isso é conhecido como uma exacerbação.

Porém, quando em exacerbação, os sintomas se acentuam, e essas mudanças são muitas vezes extremamente rápidas. As exacerbações podem ser fatais, e é provável que o paciente precise de assistência médica imediata.

As exacerbações podem ser fatais, e o paciente precisa de assistência médica imediata.

O paciente pode sentir:

  • Aumento da falta de ar;
  • Aperto no peito;
  • Confusão;
  • Aumento excessiva da tosse e de tosse com muco;
  • Mudança na cor do muco;
  • Febre;
  • Sonolência excessiva, (sinal de uma intoxicação por dióxido de carbono, possivelmente fatal);
  • Lábios ou unhas vão azulando.

.

Se o paciente diagnosticado com DPOC sente confusão ou sonolência excessiva, ele deve procurar atendimento de emergência imediatamente. Estes são sinais de que os níveis de dióxido de carbono no sangue são perigosamente altos, e isso pode ser fatal. Por esta razão, o paciente precisa da ajuda de um cuidador, amigo, parente ou vizinho que possa o acompanhar até que receba assistência médica.

Há muitas coisas que o paciente pode fazer para reduzir os riscos de ter uma exacerbação, tais como evitar a poluição, certificar que a qualidade do ar em casa é boa, evitar coisas que possam irritar os pulmões tais como produtos químicos ou fumo do tabaco.

O paciente deve se alimentar adequadamente, adotando uma dieta saudável preparada para garantir que permaneça em boa saúde e sobretudo preservar a massa muscular. Muitas pessoas com DPOC descobrem que a respiração se torna mais difícil quando fazem refeições pesadas. Uma sugestão é passar a fazer mais refeições menores durante o dia. Mas o ideal é consultar um nutricionista de sua confiança. É fundamental o acompanhamento de um profissional.

Caminhada, dança, exercícios de alongamento e respiratórios são boas formas de atividades físicas para pacientes com DPOC. Antes de iniciar um programa de exercícios é importante levar em consideração se o paciente está se expondo à poluição. Por exemplo, se estiver indo para uma caminhada, certifique-se que não é ao lado de uma rua de trânsito pesado, estrada poluída. Se estiver indo dançar, verifique se o local é livre de tabaco e, sobretudo, arejado. E por aí vai.

Antes de iniciar qualquer programa de exercícios é fundamental consultar um médico pneumologista especialista em DPOC. Somente com orientação profissional adequada (fisioterapeuta) é que os exercícios físicos se tornam aliados do paciente.

Além disso, reforçamos que a prática da automedicação é extremamente prejudicial à saúde. O tratamento prescrito para uma pessoa pode não funcionar para outra. Além disso, a automedicação pode dificultar o diagnóstico preciso, principalmente na fase inicial da doença. Portanto a opinião de um especialista é fundamental sempre.

Encorajamos firmemente que seja sempre ouvida a opinião de um médico especialista. Neste caso, um pneumologista. Se não se sentir confortável com o diagnóstico, procure ouvir uma segunda opinião.

E lembre-se, conte sempre conosco para esclarecer suas dúvidas e conhecer melhor os seus direitos.

Fonte: International COPD

Publicado em Tudo sobre DPOC
Página 1 de 5
teste dpoc
faq
Associação Brasileira de Portadores de DPOC ©2017 - Bitnick Web Design